Viste o leão?
Viste o leão? Viste o leão?

Viste o leão?

Editora: Editora OQO
Código do Produto: 978-84-9871-298-8
Pontos pela Compra: 0
Disponibilidade: Em Stock
Preço: 14,00€

— Viste o leão?
– perguntou a rã –.
Trago-lhe uma carta
que cheira a erva fresca
e a flores recém-cortadas.

Através desta fórmula, carregada de lirismo, que a rã repete a cada um dos animais com que se encontra, este álbum completa página a página uma espécie de puzzle de criaturas da selva, cujas respostas se transformam em pequenas pistas.

Nelas revelam-se pormenores que levarão o incansável anfíbio a averiguar o paradeiro do leão, ao mesmo tempo que fazem crescer a sua curiosidade, a dos habitantes da selva e também a do leitor, por descobrir o motivo pelo qual o leão só corre e corre; nem caça nem come e, sobretudo, a sua fixação por alcançar a Lua.

O escritor uruguaio-venezuelano Armando Quintero tem uma longa e reconhecida trajetória como narrador oral. Esta experiência é evidente na tensão narrativa que constrói em Viste o leão?, álbum que constitui a sua segunda colaboração com a OQO, após inaugurar com Caracóis a coleção para primeiros leitores nanOQOs.

O estranho comportamento do leão intriga toda a gente: alcançar a Lua parece a pretensão de um louco ou a proeza de um apaixonado. Com o objetivo de espelhar o seu desconcerto, a ilustradora Géraldine Alibeu apresenta os animais da selva em atitudes estáticas e reduz ao máximo a paleta de cores. Assim, transmite a incapacidade destes, inclusive da rã, para explicar o que está a acontecer ao leão, receando que este esteja transtornado.

No entanto, Alibeu reserva para o leão as ilustrações em movimento e com maior cromatismo. Deste modo, procura criar uma atmosfera em que se respire a sua urgência e o motivo amoroso da mesma. Para além disso, estas imagens não têm texto, pelo que o leitor deve entrar no terreno das suposições para descortinar o que está a acontecer ao perturbado Rei da Selva.

A ilustradora francesa associa-se ao jogo de que o leitor seja apenas mais um neste périplo investigador e se possa reconhecer, como se fosse o seu alter ego, nesse pequeno nativo massai de presença constante no livro. Este menino continua o devir da história descontraído e feliz mas muito atento, como todos os que se embrenhem nesta colagem plástica e narrativa, que mostra que as mais belas demonstrações de amor não exigem façanhas épicas.

Texto de Armando Quintero
Ilustrações de Géraldine Alibeu
Tradução do espanhol de Ãngela Barroqueiro

Ficha técnica
Nº de Páginas 48
Lingua GL | ESP | FR | PT | EN
Capa Cartonado
Tags: Livro,